Essência

fire

Fonte imagem: Pinterest

Eu preciso abraçar e me permitir sentir o que eu sinto. Já disse para mim mesma que não quero perder minha essência.

A minha essência é acreditar, lutar e não desistir. Minha essência é ser teimosa e fiel a mim, e acreditar na pureza do amor. A minha essência é acreditar que energia é tudo, é definir uma meta, traçar maneiras de conquistar, e conseguir.

Minha essência é o fogo bonito que queima e aquece ao mesmo tempo.

Um universo recíproco.

 

tumblr_n3m9rvThI61qaxtn3o1_500

Fonte imagem: Pinterest

Esses dias uma situação bem desagradável aconteceu comigo. Uma pessoa do meu passado, veio até mim, demonstrando ódio e agressividade, dizendo que é lamentável a pessoa que eu me tornei. Olha bem, eu poderia ter sido grossa, ter baixado o nível e ter começado a xingar, mas achei totalmente desnecessário, porque eu estou muito em paz comigo mesma, então só desejei que essa pessoa fosse buscar sua felicidade e se cuidasse.

Trago isso como assunto, porque é muito do “cuidado com o que você deseja para o outro”, ou então a questão de reciprocidade. Eu já passei da fase de ficar me questionando de algumas coisas, e todo dia estou tentando somente pensar no hoje e não me torturar muito com o amanhã. Faço das minhas escolhas algo construtivo, acredito que energia é tudo, e devemos nos policiar no que pensamos e desejamos. Eu não esperava nem um pouco disso que aconteceu, até mesmo porque em relação a essa pessoa, minha cabeça e meu coração sempre esteve em paz, e enquanto ela me agredia com palavras, eu podia imaginar somente a dor que ela sente e a infelicidade que está a vida dela, para ela se dar ao trabalho de fazer isso.

Eu não sou perfeita, e nem quero ser. Eu sou do jeito que eu sou, eu passo por mudanças, eu procuro amadurecer em minhas atitudes, porque amadurecimento e aprendizados nunca é demais. Eu erro, sou teimosa e orgulhosa. Sou desconfiada, sou estressada e não é todo dia que consigo passar para mim mesma a positividade que eu preciso para que meu dia vá bem. Mas acontece que, eu me preocupo com a minha vida, entende? Eu me preocupo é com o meu bem-estar, e pouco me importa o que você vai pensar ou espalhar sobre mim, porque se você chegar a esse ponto, você nunca teve e nunca terá nenhum nível de importância na minha vida. E assim é. Nós que selecionamos o que vamos ver, com quem vamos nos relacionar, com quem vamos aguentar uma conversa. Não sou obrigada a seguir uma pessoa em alguma rede social só pela aparência, já que eu não gosto dela e nem do que ela posta. Não sou obrigada a nada. Trato bem quem me trata bem, respeito quem me respeita, e cuido de quem eu amo e acho que merece. Mas não desejo mal a ninguém, porque mais uma vez, estou muito ocupada com a minha própria vida a ter que gastar meu tempo te desejando algo ruim. Mas se for para desejar, eu desejo que você encontre a luz, de verdade. Vai sair com seus amigos, vai dar risada, beber uma cerveja, beijar na boca, cuidar de você, e procurar motivos para ser grato. Seja grato, isso seja bem grato, porque quando somos gratos, o universo nos acolhe e cuida de nós. Se cada um cuidasse da sua própria vida, do seu coração, e percebesse que as coisas passam muito mais de imagem e status, muita coisa seria evitada, muito sentimento que o coração não precisa, seria evitado. Vai lá vai, vai cuidar da sua vidinha que eu to cuidando muito bem e feliz da minha aqui. Beijo

Meu centro.

tree tratada.jpg

Faz tempo…

Faz tempo que eu não venho aqui, faz tempo que não passo em palavras alguns dos meus sentimentos. Deve ser porque prefiro as vezes ficar quietinha. Mas esses dias eu tive uma das experiências pessoais mais satisfatórias, e não vejo porque não compartilhar por aqui… pois bem.

Viajei sozinha. Eu quis viajar sozinha, porque eu não tenho medo de fazer coisas sozinha, e ponto. Eu quis ir para ficar comigo, me propor experiências novas e me conectar comigo mesma. E foi maravilhoso, e acho que todos deveriam procurar fazer isso, aconselho fortemente. O meu momento preferido, não foi quando eu estava com os amigos que fiz por lá, ou coisa do tipo. Foi quando eu estava sozinha, no meu lugar preferido da cidade me despedindo. Peguei meu caderno e comecei a escrever. E lá, onde não tinha ninguém comigo, não me preocupava mais querer tirar fotos, porque já tinha percebido que tinham fotografias que iriam ficar somente na minha mente. Ali, sentada olhando por alto, percebi o quão bom é viver e buscar nosso próprio bem e equilíbrio. A vida é mais que contatos que temos, é mais que fotos, construções feitas pelo homem, amores não correspondidos… A vida é o mais simples que nunca valorizamos, é a claridade do dia e a escuridão da noite, o céu nublado ou limpinho, o sol ardendo ou escondido, são as montanhas verdes, os animais comendo grama, a árvore tão forte, com folha ou seca, é poder plantar e colher, sentir a terra, a grama, não arrancar uma flor porque ela é bonita, e deixar ela lá, justamente porque ela é bonita. Parece clichê, cansativo, e preguiçoso esse discurso, e tudo bem. Quando estamos sozinhos é que percebemos a verdade, e devemos ir sempre atrás da nossa verdade, doendo ou não. Nos distraímos todos os dias com tantas coisas e informações, que deixamos de olhar para o lado bom e puro das coisas, as que realmente importam (devo me lembrar disso nos dias difíceis). Então espero que um dia, você tenha algo assim, um sentimento puro de gratidão, e o sorriso leve no rosto.

Um beijo, Fê.

A luta final

ring

Entrei em um ringue. Estou muito machucada, porém, acredito que essa luta vai valer a pena, vai ser benéfica e que eu vou ganhar. Me preparo para o ataque, e nesse ataque, tive que me expor sem poder me defender. Recebi um soco na cara, e outro na boca do estomago. Por segundos me recuperei, balancei a cabeça, e tentei voltar.

Um, dois, três golpes diretos. Mas o que está acontecendo? E por que é o meu coração que mais dói? Não consigo mais, acho que vou… Pronto cai e apaguei. Contaram o necessário para eu não conseguir levantar e declararam a luta como encerrada.

Eu perdi a luta que estava para acontecer faz tempo. Eu perdi a luta que demorei para acreditar que valia a pena. Eu perdi, e quero me aposentar. Já estou com muitas cicatrizes, já ganhei algumas mas acho que não consigo mais lutar. Por mais que depois de tanto apanhar, as experiências e as dores não valem mais a pena. Acho que o prazer da vitória, não existe mais para mim…

Vem cá, vamos conversar um pouquinho sobre essa bagunça

PENSE

Não é porque eu não me proponho a discutir com todas pessoas em redes sociais sobre assuntos polêmicos, que eu não tenho uma posição. Quando eu decido conversar com uma pessoa, sobre um assunto atual e que geram diferentes opiniões, eu decido fazer isso de forma inteligente, calma e sem ser agressiva, e escolho a dedo com quem vou falar sobre determinado assunto. Um conversa olho no olho, é muito mais construtiva do que em comentários de facebook, que qualquer um pode escrever algo e se esconder na tela do celular ou do computador. Mas vem cá, vamos sentar aqui e me diz o que você acha sobre isso… Mas não. As pessoas tende a sempre escolher o lado agressivo, ignorante, opressivo, e generalizado. Sim, posso também estar generalizando aqui, mas enquanto eu não ver coisas contrárias na fila do pão, do banco, do mercado, no ônibus, vou continuar pensando assim. Queria te dizer que me assusta você ter pensamentos tão bárbaros, onde parece que estamos regredindo séculos. Sua posição e sua opinião é o que você é. Não importa se tem a possibilidade de uma garota ter se insinuado para trinta caras, como estão dizendo. Não importa. Esse tipo de coisa, mesmo que oferecida, é considerada normal, porque vivemos em uma cultura onde o sexo e o corpo da mulher, é tratado de maneira barata, de maneira nojenta, e sem respeito. Você pode fazer o que você quiser da sua vida, só não prejudica outra pessoa. Não seja parte de algo em grupo, que faz outra pessoa sangrar, independente se ela pediu ou não. De grosso modo, mesmo que fosse uma vagabunda, você critica a vagabunda mas tá lá com ela. Você já perde por ai meu amigo. Tenha uma posição direita pra conversarmos.

Não me generalizem com feministas que levam de maneira errada o que tanto lutamos para conseguir. Nós mulheres, precisamos ser conscientes, que infelizmente existem outras mulheres que tomam atitudes e discorrem opiniões não condizentes com o que deveria ser o feminismo. Aceitamos isso? Ok, vamos tentar fazer certo. Homens, não vou dizer que vocês não prestam, que vocês são nojentos, e tudo mais. Só peço para vocês não tratarem mulher como burra, e buscarem o significado da palavra machismo no dicionário, para podermos conversar.

Me entristece, ver que os assuntos mais falados no Brasil, são assuntos que exigem de nós, ter sangue de barata para ver o noticiário todos os dias. Acho sim que está tudo errado, mas também acho que muita coisa é culpa do povo. A fácil divulgação de notícias em massa em redes sociais, sendo tudo tão rápido, não deixa com que pessoas que ficam abitoladas no celular, formem uma opinião própria, e sim vão seguindo pelo o que “os outros” dizem e postam. Em minha opinião pessoal (licença, obrigada) usamos de maneira errada, o que deveria ser usado de maneira construtiva que gerassem resultados que dessem orgulho. Tudo é motivo de ódio, de luta, e de guerra. E não acho que tá errado não, porque se não houver luta, não haverá vitória, e ainda precisamos lutar para muita coisa melhorar… Mas o que digo, que é tudo tão bagunçado e sem organização, sem base e fundamentos, que as lutas reais, desaparecem no meio de tantos comentários fúteis só para ganhar curtidas em cima de uma notícia que precisa ser investigada da maneira correta dos dois lados. Ninguém tenta abrir a mente, porque isso exige trabalho e faz sair do que é comodo. E brasileiro não quer sair do comodo, né? Brasileiro quer tudo dado de bandeja, inclusive opiniões que deveriam ser próprias, mas não, ele também vai se generalizar e ir atrás do que qualquer um fala, porque é mais fácil. Se formos procurar o problema real mesmo, está muito mais afundo, porque o problema é a transformação que o Brasil tomou na cultura, no sentido pior que se pode ter de transformação, e ninguém foi prestando atenção nos detalhes pequenos, antes disso tudo virar. E ninguém está prestando muita atenção agora. Gente, o negócio, tá perigoso. O ódio, e tudo que for de energia ruim, tá muito grande em todos os sentidos. Isso, vai gerar mais mortes, vai gerar guerra, e vai gerar choro. E tudo, porque o homem (sociedade, ok?) não quer ouvir, não quer mudar, não quer o bem. O amor, nos dias de hoje, chora, e muito. Ele tá sumindo em todos os sentidos, na bondade, na paixão, no companheirismo, na amizade. Hoje ninguém quer mais o amor, porque todos temem o amor. E vão continuar temendo, porque já estamos acostumados com a tristeza, que vamos escolher ela de novo, porque somos acomodados não é?

Desabafo aqui, não esperando gerar discussões, ou coisas do tipo, como já dito, se for pra eu contribuir mais construtivamente, vai ser em uma conversa pessoalmente com um grupo ou com alguém. É uma opinião particular minha, onde espero não ser julgada ou interpretada mal. Ou espero, sei lá, não ligo muito para o que vão dizer. Mas meu maior desejo, de verdade, é que as pessoas pensem! Ah, se souber o poder que o pensamento tem…

Solta o freio

large

Uma vez meu pai me falou: sollllta o freio Fernanda! E falou isso diversas vezes, e com uma enfase que me marcou. Claro que na hora ele se referia ao soltar o freio da bicicleta, na descida que a gente estava, mas aquilo me marcou bem ali na hora, um tapa na cara sendo seguido pelo carinho do vento que vinha até  mim. (Ah esses carinhos que o vento sempre me dá…)

Confesso que faz meses isso, e sabia que uma hora iria me levar a alguma reflexão.. Poxa pai, você nem sabe o tanto de coisa que o senhor me disse só com essa frase… Soltar o freio para mim. Motivo de risos. Risos porque eu não sei somente soltar o freio, entende? Não sei somente seguir o caminho da direção que tem que seguir, e me deixar levar (melhorei muito, e continuo melhorando). Mas eu insistentemente tenho que soltar o freio e apertar fundo no acelerador… Acelera, acelera, acelera… Vai bater, vai bater. Pronto, bateu! E sempre bate, e sempre dá alguma coisa errada. Porque na hora que eu tentei frear para parar, sabendo que tava no meu limite, naquele meu limite da linha do caminho, em que eu me conhecendo o suficiente sabia: ou eu paro, ou eu vou. Mas se for pra ir, eu vou com tudo. E eu sempre escolhi ir com tudo.

E é isso amigos. Na verdade nem é uma reflexão, é uma constatação. Eu sou assim. Não sei ser de outro jeito. Eu por atitudes e escolhas minhas, vou escolher pisar no acelerador, para bater, ter um acidente e me machucar… Eu sei, eu sei que poderia aprender sem acelerar e me machucar, eu sei. Mas já disse, é automático e por instinto. Talvez uma hora eu vou ter pisado tanto no acelerador, e ter aprendido o que tiver que aprender, que nem vou querer pisar mais, e vou simplesmente deixar pra lá…

Não te culpo se não quiser viver do meu lado, por conta desse meu jeito explosivo e tão limite como o meu. Não culpo mesmo. Tudo bem, pode ir. Vai. Vai logo, que se for pra ficar longe de tudo que me faz sofrer, vou apertar mais forte ainda o meu acelerador. Só que dessa vez, vai ser contra você.

 

 

Mais um daqueles textos abertos para livres interpretações, em livres ocasiões imaginárias…